06/10/2020

Outubro Rosa: a pandemia não pode prejudicar o diagnóstico

Esta matéria foi concedida pelo Hospital Santa Genoveva de Uberlândia (MG), parceiro da Premium Saúde. O Hospital participa do Programa de Qualificação da Rede Credenciada e foi certicado com Selo Ouro de Qualidade de Serviço e Atendimento Prestado.

Antes de mais nada, conhecer o próprio corpo é primordial para perceber quando algo está errado. Várias doenças podem ser descobertas precocemente por meio do toque, uma delas é o câncer de mama. Outubro Rosa, mês de prevenção a esse tipo de câncer, tem o objetivo prevenir e disseminar informações para a detecção precoce do câncer de mama, aumentando as possibilidades de cura. 

Segundo a oncologista do Santa Genoveva Complexo Hospitalar, Nathália Almeida, o câncer de mama é caracterizado pela proliferação anormal, de forma rápida e desordenada, das células do tecido mamário. "Ele pode ser de vários tipos diferentes e, para saber diferenciá-los e tratá-los, é necessário acompanhamento com um oncologista e um mastologista. Nem todos os casos são hereditários", afirma.   

A médica salienta que, apesar de ser raro, pacientes com menos de 35 anos podem desenvolver o câncer de mama, e ainda não se sabe a causa. "É preciso reforçar que quanto mais precocemente for descoberto, maior a chance de cura", garante Nathália.  

  

Estatísticas 

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), são esperados para este ano 66.280 novos casos de câncer de mama no país, sendo 17.572 mulheres e 189 homens. Pesquisas apontam que cerca de 30% dos casos de câncer de mama podem ser evitados com a prática de hábitos saudáveis.  

 

Prevenção 

Atualmente, a Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) recomenda que a mamografia de rotina, exame recomendado para rastreamento do câncer de mama, deve ser feita anualmente a partir dos 40 anos de idade. 

"Contudo, sabemos que esse tipo de câncer não tem somente uma causa e que a idade é um dos fatores de risco. Entretanto, apesar de raro, mulheres com menos de 35 anos podem desenvolver a doença. Isso só reforça que todos devem estar atentos à própria saúde e sintomas que o corpo apresenta", esclarece a médica. 

"É preciso reforçar que quanto mais tarde for descoberto, maiores as chances de recidiva. Acima de tudo, é fundamental que ele seja descoberto o mais precocemente possível, para aumentar suas taxas de cura. Este ano, devido à pandemia do Coronavírus, muitas mulheres deixaram de fazer a mamografia de rastreio. Por isso, estamos vendo um aumento do número de tumores mais avançados, descobertos através do autoexame das mamas e por outros sintomas. É importante ressaltar que o autoexame não substitui a mamografia e nem o exame feito pelo médico. Portanto, com o arrastar da pandemia, exames e consultas não devem ser adiados", finaliza a oncologista Nathália Almeida.  

 

Sintomas  

Nódulo único endurecido, alteração da forma da mama, vermelhidão, retração do mamilo, sensação de massa ou nódulo aumentado na axila, retração da pele ou do mamilo, secreção pelos mamilos, inchaço do braço ou dor na mama e/ou mamilos contínuos ou descamação 

 

O Complexo Hospitalar 

O Santa Genoveva possui uma equipe multidisciplinar composta por mastologistas, cirurgiões plásticos, radiologistas, patologistas, médicos nucleares e oncologistas. Assim, o paciente consegue o diagnóstico e o tratamento necessário (cirurgia e quimioterapia) em um mesmo local, o que facilita o acompanhamento do mesmo.  

Além disso, o Centro de Diagnóstico por Imagem (CDI), que faz parte do complexo hospitalar, possui aparelhos de mamografia, ultrassonografia e ressonância magnética para as mamas.